Os sócios do Sport Lisboa e Cartaxo ratificaram as decisões proferidas em assembleias gerais anteriores, em que foi deliberada a constituição de uma Sociedade Anónima Desportiva (SAD) para gerir o futebol sénior e júnior do clube.

Apesar de algumas alterações aos pressupostos iniciais das reuniões de 30 de agosto de 2017 e 9 de abril de 2018, que aprovaram a constituição da SAD, os sócios aprovaram a condução do processo de registo notarial com um mandato dado à atual Comissão Administrativa, que ficou igualmente mandatada para discutir o futuro Pacto Social da SAD.

Em declarações à Rede Regional, o presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Cartaxo, Vasco Cunha, relevou que o registo da SAD fez-se esta quinta-feira, dia 26, num notário do Cartaxo, com o empresário guineense Faustino Gomes a assumir 80% do capital da SAD, ficando o clube com os restantes 20%.

Na assembleia geral desta terça-feira foi ainda marcada para 7 de setembro a realização de uma nova reunião magna de associados para eleger novos órgãos sociais do Sport Lisboa e Cartaxo.

Recorde-se que os destinos do Sport Lisboa e Cartaxo estão entregues a comissões administrativas há cerca de 6 anos, tendo entretanto surgido o empresário de jogadores Faustino Gomes, que se mostrou disponível para criar a SAD e que já geriu os destinos da equipa sénior na época passada.

Câmara negoceia terreno para instalar novo campo sintético

Durante a assembleia geral, os sócios do Sport Lisboa e Cartaxo ficaram a saber que a câmara municipal está disponível para negociar um terreno para a construção de um campo com relvado sintético que possa ser utilizado pelo clube, uma vez que o Campo das Pratas parece ser um caso perdido ou de difícil resolução.

Em causa estará um terreno com cerca de 60 mil metros quadrados, que está reservado para a eventual futura variante à Estrada Nacional 3, cujo processo de construção nunca saiu do papel, e do qual há uma área com cerca de 20 mil metros quadrados que poderia ser utilizada para o campo.

O valor do terreno está estimado em cerca de 120 mil euros, estando clube e autarquia a discutir o eventual negócio.

Texto e foto: Rede Regional