Um golo anulado a Wemerson, mesmo à beira do final e que dava o 2-1 para o União de Tomar diante do Mação, despertou a revolta no centenário emblema nabantino.

Num jogo em que estava obrigado a ganhar, o conjunto unionista ficou-se, então, por um empate a uma bola, resultado curto e que atira a discussão do campeonato para o líder Mação e para o mais directo perseguidor, Fazendense.

Em entrevista à Hertz, Abel Bento, presidente do União de Tomar, não poupou nas palavras para criticar a dupla de auxiliares de André Gralha, considerando que o clube fica lesado de cinco pontos, não só pelas incidências diante do Mação mas também diante da União Abrantina, onde foram os mesmos assistentes que marcaram presença. O dirigente disse mesmo que está na hora de o União de Tomar deixar de pactuar com este tipo de situações, falando em “falta de respeito para o clube” na nomeação da citada dupla.

Para além disto, o presidente do clube equaciona até se vale a pena continuar a investir numa equipa de seniores. “Se não nos querem em Santarém, se entendem que o U. Tomar não é uma mais valia para o distrito, vamos para o campeonato do distrito de Leiria ou para outro distrito qualquer. Com esta situação estou seriamente a ponderar se vale a pena ter seniores, porque nós fazemos um planeamento, gastamos imenso dinheiro e depois não nos deixam, pelo menos lutar, de forma igual para atingir os nossos objetivos. Na minha opinião isto está a atingir um limite drástico e eu não queria ter que tomar outras medidas”, disse.

Texto: Rádio Hertz