Num ápice, os “aflitos” da 1.ª Divisão Distrital da Associação de Futebol de Santarém têm que passar a olhar com mais propósito para o Campeonato de Portugal. É que para além dos dois lugares já “reservados” para a descida, este lote ainda aumenta com mais um posto consoante quantas equipas ribatejanas forem despromovidas.

Nesta altura, em zona aflitiva, está “apenas” o Alcanenense, mas Coruchense e Fátima têm a linha de água a “queimá-los”, ou seja, ainda vão ter muito trabalho pela frente para evitar dissabores.

2018 tem sido um ano negativo para o trio de representantes do distrito, sendo que na globalidade dos nove jogos realizados apenas o Fátima somou uma vitória.

E o Alcanenense não sabe o que é ganhar desde 10 de Dezembro uma vez que está numa série de quatro derrotas seguidas, percurso que contrasta com a estabilidade justamente alcançada pelo clube nestes (longos) anos neste patamar.

O Coruchense, por sua vez, actual campeão distrital, é quem tem feito uma prestação mais positiva, um estatuto reforçado se tivermos em conta que o plantel é dos mais baratos quando se compara com outras realidades.

Já o Fátima aparece como a grande desilusão do campeonato. Depois de na última temporada ter “cheirado” a subida à II Liga, pensava-se que este ano seguisse pelo mesmo diapasão. Puro engano: os fatimenses estão com a corda no pescoço.

Texto: Rádio Hertz