A seleção da AF Santarém não conseguiu o apuramento para a fase final do Torneio UEFA Region’s Cup. Após ter começado da melhor maneira com uma vitória frente à AF Leiria (2-0), nos dois outros jogos acabou por ser derrotado por 2-1 e 1-0, pela a AF Guarda e pela AF Castelo Branco, respetivamente.

Pedro Monserrate, treinador principal da seleção de Santarém, em conversa com o Futebol Distrital de Santarém, falou do desempenho da sua equipa nesta fase. “Desportivamente avalio o desempenho da selecção como negativo, porque falhamos um dos objectivos principais, que era estar na fase final deste torneio. Após a excelente vitória no primeiro jogo contra a selecção de Leiria não conseguimos vencer os dois jogos seguintes diante as selecções da Guarda e Castelo Branco, onde até demonstrámos ser muito melhor equipa, com bom futebol, no entanto jogar bem e ter posse de bola não garante pontos se não fizermos golos. No jogo contra a equipa da casa jogámos bem, mas sofremos um golo no início da segunda parte e depois o segundo golo numa grande penalidade inexistente, ainda conseguindo reduzir a desvantagem pelo Tiago Martins e dispondo de algumas oportunidades para empatar, mas não conseguimos. No terceiro e último jogo contra a selecção de Castelo Branco, que tinha vencido os dois jogos anteriores, dominámos o jogo do início ao fim, mas cometemos um erro ao perder uma bola à entrada da área que permitiu a vantagem do adversário que durante o resto da partida se limitou a defender e a jogar com o relógio.
Em termos sociais e disciplinares, factores pelos quais a AF Santarém também dá grande importância, o desempenho da Selecção de Santarém pode considerar-se muito bom”, avaliou o treinador.

O técnico de 36 anos falou ainda da qualidade dos jogadores do distrito, garantido que muitos até poderão dar o salto para campeonatos profissionais. “Temos qualidade no nosso distrito e isso ficou demonstrado neste torneio com as excelentes prestações de alguns dos jogadores mais novos que compunham esta selecção. Jogadores como Francisco Sousa, Iuri Alves, Tiago Martins, Tiago Vieira, Diogo Fernandes, Cristiano Aniceto, Miguel Fernando, Leandro Filipe, Fábio Vieira, Luís Alves, todos eles abaixo dos 23 anos e com enorme margem de progressão, que se conseguirem aliar os seus estudos ao futebol, poderão claramente chegar a patamares superiores, se tiverem vontade de aprender levarem a sério o futebol nas suas vidas. Tal como outros dos jogadores que não integraram esta selecção, mas que ficaram pré-seleccionados e fizeram parte dos trabalhos de preparação para este torneio e outros que por motivos de lesão e profissionais também não puderam dar o seu contributo, mas que também têm muita qualidade, poderiam vingar em equipas de cariz profissional, assim tivessem uma oportunidade para demonstrar o seu valor”, concluiu.