Rui Bugalhão, de 52 anos, treinador do Sport  Club Ferreira do Zêzere, que lidera a Série 1 da 2.ª divisão distrital da Associação de Futebol de Santarém, tem como principal ambição levar a equipa à subida de escalão e ao convívio dos “grandes” do futebol distrital.

A segunda fase está à porta e a Rede Regional falou com o técnico ferreirense.

Rede Regional – A sua equipa  tem assegurada a passagem à 2.ª fase do campeonato da 2.ª divisão. Qual o objectivo nesta fase? É subir à 1.ª divisão?
Rui Bugalhão – Sim, depois da excelente primeira fase que estamos a atravessar, temos a ambição de conseguir este ano a subida de divisão sabendo contudo que não vai ser fácil e como nós, igualmente , haverá todos os outros candidatos .

RR – Como são as condições de trabalho no clube?
RB – São excelentes , nada nos falta, temos uma boa organização e o clube está com umas excelentes infraestruturas que nos garantem o necessário para um trabalho tranquilo e ambicioso

RR – Como classifica o seu grupo de trabalho ?
RB – É, sem dúvida, neste grupo de trabalho que reside todo o nosso sucesso. Temos um balneário fantástico, ambicioso , humilde e que faz da união a força que transporta todos os domingos para dentro do campo.

RR – Como analisa o futebol “distrital” de Santarém?
RB – Existe uma boa competição, embora este ano se tenha notado um pouco alguma falta de qualidade nalguns planteis de equipas que normalmente são competitivas durante toda a época e que baquearam com alguma surpresa em momentos chave. Não tendo, neste momento, conhecimento da divisão mais a Sul não poderei para já adiantar muito sobre essa série.

RR – Enquanto jogador, que clubes representou?
RB – Representei as camadas jovens do União de Tomar, tendo depois jogado em Seiça durante alguns anos e depois futsal no Sporting de Tomar .

RR – Que equipas já treinou?
RB – Comecei a treinar os iniciados do União de Tomar na época de 1997/98, tendo passado também por outros escalões do clube, depois estive alguns anos na Escola de Futebol de Tomar. Nos seniores estive na Linhaceira, Assentis, Caxarias e esta é a terceira época em F. Zêzere.

RR – A população de Ferreira do Zêzere apoia a equipa?
RB – Sim, embora saibamos que o futebol distrital não estará a atravessar o seu melhor momento, nota-se que aos poucos as coisas têm vindo a melhorar, pois o tipo de futebol que se pratica também está a evoluir bastante, o que cativa os jovens novamente para esta prática. Como é óbvio , as equipas que estão a atravessar melhores momentos vão tendo mais apoios como é normal e natural, mas não nos podemos queixar nunca de falta de apoio.

RR – Como jogador, ou treinador, alcançou algum título?
RB – Como jogador não, mas fui campeão com um grupo fantástico e do qual muito me orgulho logo na minha estreia como treinador dos  Iniciados do União de Tomar, na época de 1998/99, onde fomos campeões distritais sem qualquer derrota e para além desse título tenho um grupo de miúdos na altura com 13/14 anos que ainda hoje continuam muitos deles a jogar futebol e onde a amizade ficou para sempre.

Texto: Grácio dos Santos – Rede Regional