Na sua primeira época como sénior, Gonçalo Guerra defende as redes do Coruchense e na Taça de Portugal mostrou fazê-lo de forma brilhante. O guardião, de apenas 19 anos, parou duas grandes penalidades frente à Oliveirense, na 2.ª eliminatória, e outra na fase seguinte, diante do V. Setúbal. Mesmo assim insuficiente para evitar a eliminação.

O guardião que veio dos juniores do Leixões garante que desde cedo revelou um dom natural para a marca dos 11 metros. “Já na formação defendi mais de 20 penáltis. Acho que não existe nenhum segredo, foi algo que nasceu comigo”, explica a Record.

Gonçalo tem contrato até final da época, mas garante estar focado apenas na equipa atual. “Quero ajudar a representar o clube da melhor maneira para conseguirmos a permanência no Campeonato de Portugal Prio”, adianta, virando o foco já para a receção de amanhã ao Torreense.

“Trabalho para aumentar o meu rendimento e todos têm ajudado”, salienta. Sendo ainda bastante jovem, o guarda-redes tem os seus sonhos profissionais já bem definidos. “Tenho o objetivo de chegar à Liga NOS e prometi ao meu avô que um dia chegaria a representar a Seleção Nacional”, revela com entusiasmo.

Gonçalo segue o escalão principal bem de perto e, com tempo para ainda evoluir, espera atingir o nível dos melhores, contando com um exemplo de carreira a seguir. “Temos vários bons guarda-redes em Portugal e há pouco tempo tive a oportunidade de defrontar um deles, o Ricardo (V. Setúbal). Ainda que seja difícil de avaliar o melhor de todos, o meu ídolo é, sem dúvida, o Rui Patrício”, conclui.

Texto e foto: Record.pt