Depois de uma excelente época ao serviço dos infantis do Footkart, onde se sagrou campeão distrital de Infantis e venceu o Torneio do Guadiana, o Futebol Distrital de Santarém decidiu falar com Valter Guedes para tentar perceber a ‘receita’ do sucesso alcançado.

Futebol Distrital de Santarém (FDS): Este ano fez história pelo Footkart, para além de se sagrar campeão pelos infantis conseguiu vencer a Copa do Guadiana, a que se deve tal sucesso?
Valter Guedes (VG): Não fui que fiz história pelo clube, mas sim um grupo de atletas e dirigentes do qual tive o privilégio de ser “líder”. Associo o meu sucesso ao sucesso do clube no qual, para além das funções de treinador durante seis épocas desportivas, fui também coordenador das equipas de Futebol 7 durante três épocas. Aceito todos os elogios que nos fizeram, admito que fomos sempre melhores, que fizemos por merecer ser sempre os melhores e que tivemos de evoluir de uma forma soberba para conseguir levar a melhor sobre os nossos adversários a quem reconhecemos sempre mérito e aos quais mostrámos sempre respeito dentro e fora de campo.
Sermos campeões distritais foi sem dúvida, algo que revelou a nossa consistência ao longo da época e a programação do nosso trabalho, sendo reflexo disso o facto de em 30 jogos oficiais termos conseguido 28 vitórias, dois empates, marcado 200 golos e sofrido apenas 35 e apresentando sempre qualidade muito elevada no nosso jogo.
Vencer a Copa do Guadiana é algo que só as imagens falam por si e é de certeza algo que jamais qualquer atleta do Footkart e da nossa equipa, em especial, irá esquecer. Fomos a única equipa que para além dos cinco dias de Futebol 7 também participou no torneio de Futebol 11 que decorreu nos quatro dias antecedentes e no qual apenas perdemos nos quartos-de-final com a equipa vencedora, o que nos deixa muito orgulhosos. Sentimos claramente que o sucesso não é de quem o conquista, mas de quem o sente. Sabemos que com esta vitória ficámos a pertencer a um grupo restrito. Para sermos diferentes tivemos de fazer por sermos diferentes.

FDS – Após seis anos ao serviço do Footkart, porque é que este ano decidiu aceitar o convite do U. Almeirim?
VG – Sinceramente achei que chegou a altura de abraçar outro tipo de experiência que o Footkart já não me consegue dar.  O Footkart continuou aquando da saída do Coordenador Mister Edgar Cardoso e vai continuar naturalmente com a saída do Valter Guedes, até porque estarei sempre disponível para ajudar no que puder e no que os responsáveis assim entenderem. Jamais aceitaria treinar num outro clube um escalão que o Footkart tivesse, precisamente por considerar ser o melhor clube formação do distrito nos escalões que possui. O União Futebol Clube de Almeirim e os seus responsáveis mostraram há três anos consecutivos interesse nos meus serviços e, entendi que estão reunidas as condições para ingressar no clube onde fiz toda a minha formação enquanto jogador.

FDS – Quais são os seus objetivos para a próxima época com a equipa de juvenis de Almeirim?
VG – Os meus objectivos na equipa de juvenis não serão muito diferentes dos objectivos da direção naturalmente. Atendendo à fase crescente que o clube atravessa, parece-me importante construir e trabalhar as equipas do U.F.C.A. para se tornarem muito competitivas, cimentando a sua presença entre as principais equipas do distrito, podendo num futuro próximo ambicionar a presença de equipas no Campeonato Nacional. Pessoalmente, espero corresponder às expectativas depositadas em mim e crescer enquanto treinador conseguindo ajudar o clube a conquistar os seus objectivos.