Num jogo onde se adivinhavam muitas decisões, encontraram-se no campo da Murteira, o Samora Correia e o Coruchense, no qual a formação da casa saiu derrotada por 2-3.  Os pupilos orientados por Ricardo Cunha tiveram a vitória na ‘mão’, mas a equipa visitante não desistiu e, perto do apito final deu a volta ao marcador.

Como era de esperar, foi a equipa da casa que entrou no jogo com vontade de ter a bola e criar ocasiões de perigo, no entanto, a partida começou a ser muito disputada no meio do terreno e eram escassas as oportunidades de golo. Até que, aos 20 minutos, num lance dentro da área, Miguel Neves cortou a bola com o braço e o árbitro sem hesitar, assinalou grande penalidade. Na marcação do castigo máximo, Fábio Sousa não tremeu e fez o primeiro golo da partida.

Em vantagem no marcador, a equipa de Samora ficou mais tranquila, as jogadas colectivas saíam bem e começaram a apertar o ‘cerco’ à formação visitante. E, perto da meia hora de jogo, Fábio Sousa teve nos pés uma excelente oportunidade para ampliar a vantagem, com dois remates dentro da área que foram cortados, já perto da linha de golo, pela defensiva coruchense.

Em cima do apito para o intervalo, depois de um bom trabalho do lado direito do ataque, Tiago Luís cruzou para o segundo poste, Fábio Sousa apareceu e cabeceou ligeiramente por cima da barra.

A segunda parte começou com a mesma toada, com a equipa da casa a tentar mandar no jogo e com vontade de resolver o jogo. E, volvidos 50 minutos, Rui Costa cruzou para o interior da área, Tiago Luís cabeceou para o fundo da baliza e fez o 2-0.

Quando se pensava que o jogo podia estar resolvido, eis que o ‘clima’ aqueceu e o árbitro foi obrigado a mostrar vários cartões. O Samora começou a acusar alguma pressão, perdeu o controlo do jogo e o Coruchense aproveitou isso da melhor maneira. Bernardo Pedro foi derrubado no interior da grande área e, o árbitro assinalou grande penalidade. Na conversão, Bernardo não vacilou e fez o 2-1. Após o golo, gerou-se uma confusão junto à baliza do Samora Correia da qual resultou a expulsão de Francisco Coelho, por agressão ao jogador da equipa visitante.

Reduzida a vantagem no marcador, os pupilos de Ricardo Sardinheiro, começaram a acreditar que era possível dar a volta ao marcador. Aproveitaram o nervosismo da equipa adversária e o facto de estarem em superioridade numérica e, aos 73′, livre batido para o interior da grande área, Miguel Neves, sozinho só teve de encostar.

Já perto do final, Leonardo Lucas conseguiu passar por dois adversários e, sozinho com o guarda-redes rematou para o fundo da baliza e deu a volta ao marcador.

Apesar da derrota, a formação de Samora Correia conseguiu seguir  em frente, pois o Goleganense também foi derrotado por 3-2. Já o Coruchense, justificou o porquê de ter ficado em primeiro lugar na série A.

Quanto ao árbitro, teve um um jogo difícil com alguns lances mais ‘durinhos’, no entanto esteve quase sempre bem e controlou o jogo dentro do possível.

 

G.D. Samora Correia      2

Francisco Coelho, Daniel Patrício, Lucas Villalta, Dani Pancracio, Fábio Sousa, Tiago Luis, Ivo Cleto, Henrique Massano, Rui Costa, Rui Pereira, Márcio Correia.
Jogaram ainda: Rafael Rainho, Filipe Barradas, Ion Georghita, Marco Nogueira.
Treinador: Ricardo Cunha.

G.D. Coruchense     3
Bruno Bento, Leandro Barroso, Miguel Neves, João Oliveira, Daniel Coelho, João Bacalhau, Pedro Nunes, Henrique Jesus, Bernardo Pedro, Leonardo Lucas, Leandro Oliveira.
Jogaram ainda: Rúben Duarte, Gabriel Santos.
Treinador: Ricardo Sardinheiro.

Campo da Murteira, Samora
Árbitro: Pedro Tiago Silva Serra.
Ao intervalo: 1-0.
Golos: Fábio Sousa (20′), Tiago Luís (50′), Bernardo Pedro (55′), Miguel Neves(73′) e Leonardo Lucas (78′).
Disciplina: Amarelos a Daniel Patrício(51′), Fábio Sousa (54′) e Ion Georghita (82′), Vermelho a Francisco Coelho (55′).

 

Texto: Rafael Silva